Mais Colunistas

O que você achou do que leu na coluna? Comente

DICAS QUE FAZEM A DIFERENÇA, NA HORA DE CALÇAR AS CRIANÇAS

Na fase em que seu bebê começa a andar surge uma dúvida: é melhor ficar descalço ou calçado?


Trago para vocês, mamães, um esclarecimento para esta pergunta, mais algumas dicas de como escolher o melhor sapato na hora de ir às compras. Confira:


É MELHOR FICAR DESCALÇO OU CALÇADO?


O bebê pode, sim, ficar descalço, pois ortopedicamente a criança terá uma evolução normal do pé.


Mas existe o risco da criança se contaminar com alguma doença parasitária, ou até se ferir com objetos cortantes.


Por isso prefira calçados que permitam o total movimento do bebê, sem fivelas ou botões, de preferência com tecidos antialérgico e sem um solado pesado. A idéia é permitir que a criança sinta-se descalça, mesmo estando calçada.


DICAS PARA A COMPRA DO CALÇADO IDEAL


Procure um calçado confortável, com flexibilidade, cuja anatomia permita o melhor encaixe do pé no calçado. O solado antiderrapante é indispensável, mas não ao extremo, pois pode acabar dificultando o movimento e até provocando uma queda.


Quanto ao tamanho, o calçado ideal deve ser um número acima do medido, para permitir a evolução dos dedos, e, ao mesmo tempo não ficar saindo do pé, o que causa desconforto.


CHINELOS


Existem inúmeros modelos no mercado, cada um mais lindo que o outro, principalmente para as meninas, mas não se deixe enganar, muitos deles não têm a angulação certa para o pé da criança.


SANDÁLIAS


Chegando o verão, temos uma infinidade de modelos, cores e marcas. Nossas filhas, principalmente, deixam-se levar pelos comerciais e querem por que querem as sandalhinhas de plástico. Mas muito importante: as sandálias de plástico, nem sempre  baratas, podem machucar o pé da criança, principalmente se ela usa todos os dias e para brincar, pois o plástico endurece, e com o tempo vai ficando cada vez mais seco.


Para não decepcionar as princesas, prefira as de silicone. Já para os meninos, dispense as com um solado muito grosseiro, grande e alto.


SALTO


O desenvolvimento do calcanhar está completo próximo aos cinco anos de idade. A marcha da criança aproxima-se muito à do adulto aos sete anos, e poucas diferenças são encontradas entre ambos. A estrutura óssea do pé, porém, ainda não está completa nessa idade, pois a criança continuará crescendo até mais ou menos os 12 anos, para os meninos, e 10 anos de idade para as meninas.


Quando uma criança está em fase de desenvolvimento, os calçados não devem ter salto e a sola deve ser reta e firme o suficiente para dar estabilidade, pois o aumento da altura do calcanhar provoca modificações no padrão do caminhar. Ou seja, quanto mais alto o salto, menor a participação do antepé no movimento, e isso é prejudicial.


Então salto, somente depois dos 12 anos.


Quanto menor o salto, menos agressivo ele é para o pé da criança. Deve ter, no máximo, dois centímetros de altura. Mas o melhor mesmo, sem dúvida, é evitá-los.


Um calçado inadequado ocasionará graves alterações de postura e deformações, principalmente na coluna.


 

O que você achou do que leu na coluna? Comente

DECORANDO O QUARTO DO BEBÊ

Depois de saber o sexo do bebê, a principal dúvida e a grande empolgação da mamãe, principalmente, é a hora de decorar o quarto do bebê. Para isso, trago a vocês ideias de combinação de cores, quadros e móveis.


IMPORTANTE SABER:


O quarto do bebê não pode ter cortinas estilo corta-luz, pois o bebê precisa perceber a variação entre o dia e a noite, pois ele passou nove meses no escurinho da barriga da mamãe. Quanto a luzes no quarto, use abajur com lâmpada nos tons verde ou azul, que são cores calmantes.


Confira as fotos e inspire-se:


 


+ Artigos
Mariza Schultz
Mariza Schultz tem 32 anos, é esposa de Fernando Schultz há nove anos e mãe dos pequenos Gustavo Henrique, de cinco anos, e Giovana Thaís, de três. “Depois da chegada deles, descobri minha verdadeira vocação: ser mãe”, costuma dizer ela, com muito orgulho da profissão: mãe e dona de casa. “Nem sempre é fácil, mas certamente é maravilhoso e compensador”. Em Carinho de Mãe, ela divide esta experiência com você.
Todos os direitos reservados © Copyright 2009 - Política de privacidade - A opinião dos colunistas não reflete a opinião do portal